Recentemente uma das mais respeitadas instituições de pesquisa sobre hotelaria no Brasil, a FOHB, divulgou um novo estudo que aponta projeções e estatísticas para 2016.

Como o conteúdo é bem extenso e sabemos que seu dia é corrido, tomamos a liberdade de fazer um breve resumo, segundo eles:

2015 fechou com índices negativos para os três principais indicadores analisados: queda de 6,9% na taxa de ocupação(TO), de 7,2% da diária média(DM) e de 13,2% no RevPar (receita por quarto disponível).

– Para 2016 é previsto uma pequena recuperação inicial começando em janeiro com um aumento de 2% da taxa de ocupação, acompanhado por aumentos de 4,9% na diária média e de 6,6% no RevPar.
– No primeiro semestre de 2016, estima-se o aumento da taxa de ocupação em todas as localidades com destaque para Brasília (+3,8%) seguida de São Luís (+7,0%), Grande São Paulo (+5,4%), Curitiba (+5,3%) e São Paulo (+5,2%).

– 76% das redes hoteleiras acreditam que o desempenho de 2016 vai ser mais promissor do que 2015.

– Os principais vilões para 2016 serão os custos de energia, insumos e evidentes aumentos nas cargas tributárias. Eles exercerão uma pressão nas despesas dos empreendimentos cerca de 40% maior que o índice de inflação. Para enfrentar este desafio será necessário promover reajustes nas tarifas de diárias e buscar maneiras estratégicas para reduzir o consumo de energia afim de mantermos um mercado saudável, em que possamos continuar a gerar empregos, distribuir renda e promover a melhor experiência para nossos hóspedes.

Este foi nosso resumo, se quiserem conferir o conteúdo da pesquisa na íntegra ele está disponível no site da FOHB e pode ser acessado clicando aqui.
Um abraço a todos vocês